Milhares de Livros Para Ler

As Jabuticabas - Monteiro Lobato

As Jabuticabas Monteiro Lobato

  As Jabuticabas

  Monteiro Lobato

Sinopse:
“Tloc! Pluf! Nhoc!” Quem leu Reinações de Narizinho não esquece: na memória de gerações de leitores, esses barulhinhos ecoam como a doce explosão da jabuticaba na boca da menina (“tloc”) e as cascas cuspidas no terreiro (“pluf”), onde são imediatamente abocanhadas pelo insaciável Rabicó (“nhoc”). Essa cena é justamente o ponto de partida de As jabuticabas, livro da Globinho que integra a Coleção Pirlimpimpim.

Concebida como porta de entrada das novas gerações para o universo literário de Monteiro Lobato, a coleção reúne episódios selecionados da obra infantil do autor. São histórias curtas, pinçadas do texto original dos livros de Lobato e indicadas para leitores que estão começando a ler e querem estabelecer um primeiro contato com as histórias do Sítio do Picapau Amarelo.

Em As jabuticabas a tarde corre tranquila ao pé da jabuticabeira até que Narizinho leva uma ferroada de vespa na língua – o inseto estava aninhado na frutinha que a menina acabara de morder. Depois de receber os cuidados de Tia Nastácia, Narizinho vai se entreter com as notícias trazidas por Emília, que recorre a sua peculiar desenvoltura para contar o que aconteceu com a vespa da jabuticaba...

Cada volume da Coleção Pirlimpimpim é ilustrado por um artista diferente e coube ao paulista Roberto Weigand dar forma e cores a essa história.

Sobre o Autor:
José Bento Monteiro Lobato nasceu em Taubaté, interior de São Paulo em 18 de abril de 1882. Formou-se em Direito na Faculdade do Largo São Francisco, em São Paulo, quando morou na república estudantil do Minarete. Ali, liderou o grupo de colegas que formou o Cenáculo, e mandou artigos para um jornalzinho de Pindamonhangaba, que tinha como título o mesmo nome daquela moradia de estudantes. Já formado, Lobato voltou a Taubaté, de onde prosseguiu enviando artigos para um jornal de Caçapava, O Combatente. Nomeado promotor público, mudou-se para Areias, casou-se com Purezinha e começou a traduzir artigos do Weekly Times para O Estado de S. Paulo. Fez ilustrações e caricaturas para a revista carioca Fon-Fon! e colaborou no jornal Gazeta de Notícias, também do Rio de Janeiro, assim como na Tribuna de Santos. Foi com a morte súbita de seu avô, que lhe deixou a Fazenda do Buquira, que Monteiro Lobato passou a se envolver com as questões agrárias do país – sem afastar-se da literatura. Em 1914 redigiu Urupês, criando o Jeca Tatu, seu personagem-símbolo. Logo Lobato vendeu sua fazenda e tornou-se, definitivamente, um escritor-jornalista. Colaborou em publicações como Vida Moderna, O Queixoso, Parafuso, A Cigarra, O Pirralho e continuou em O Estado de S. Paulo. Em 1918 comprou a Revista do Brasil, empolgado com sua linha nacionalista, e ali deu espaço para novos talentos. A revista prosperou e ele formou uma empresa editorial que continuou aberta aos novatos, lançando nomes modernistas como Menotti del Picchia e Oswald de Andrade. É também nessa época que surge a polêmica com Anita Malfatti, a quem Lobato critica no artigo “Paranóia ou mistificação?”, de 1917. Nesse período escreve sua primeira história infantil, A menina do narizinho arrebitado, de 1920, que alcançou imenso sucesso. A partir daí nasceram outros episódios, tendo sempre como personagens a Turma do Sítio do Picapau Amarelo. Criou aventuras com figuras bem brasileiras, recuperando costumes da roça e lendas do folclore nacional, além de misturá-los com elementos da literatura universal, da mitologia grega, dos quadrinhos e do cinema. Monteiro Lobato também fez questão de transmitir conhecimento e idéias em livros que falam de história, geografia e matemática, tornando-se pioneiro na literatura paradidática - aquela em que se aprende brincando. Continuou colaborando com os veículos nacionais, como O Jornal, A Manhã e Diário de São Paulo, para o qual em 20 de março de 1926 enviou "O nosso dualismo", analisando com distanciamento crítico o movimento modernista inaugurado com a Semana de 22. Em 1927, Lobato assumiu o posto de adido comercial em Nova Iorque e partiu para os Estados Unidos, acompanhando as inovações tecnológicas do país. Fez de tudo para, de lá, tentar alavancar o progresso do Brasil, sem medir esforços para trazer a modernidade para seu país. Por causa de suas ideias, teve a sua prisão foi decretada em março de 1941, durante a ditadura militar. Getúlio Vargas concedeu-lhe a liberdade, porém passou a enfrentar o momento mais difícil de sua vida, com a perda do filho mais velho, a falência de sua empresa e a censura que sofria. Monteiro Lobato escreveu mais histórias nas quais seus personagens continuavam sua luta contra o que considerava errado no país – mas o criador desses personagens já estava cansado de tantas batalhas. Monteiro Lobato sofreu dois espasmos cerebrais e, no dia 4 de julho de 1948, virou “gás inteligente” - o modo como costumava definir a morte. Foi-se aos 66 anos de idade, deixando imensa obra para crianças, jovens e adultos, e o exemplo de quem passou a existência sob a marca do inconformismo.

Descrição do livro:
Formato: eBook Kindle
Tamanho do arquivo: 8246 KB
Número de páginas: 27 páginas
Editora: Globo Livros (15 de fevereiro de 2013)
Vendido por: Amazon Servicos de Varejo do Brasil Ltda
Idioma: Português
ASIN: B00BGDN1DI

As Jabuticabas Monteiro Lobato comprar na amazonAs Jabuticabas Monteiro Lobato comprar livroAs Jabuticabas Monteiro Lobato ler online

Recomendações:

Baixar, Livro, Grátis, eBook, PDF, ePub, mobi, Ler Online
  • baixar Monteiro Lobato
  • livro As Jabuticabas download grátis
  • Infantil As Jabuticabas grátis em pdf
  • As Jabuticabas pdf
  • baixar As Jabuticabas pdf
  • As Jabuticabas baixar livro
  • download livro As Jabuticabas epub
  • baixar As Jabuticabas mobi grátis
  • Monteiro Lobato pdf
  • Monteiro Lobato download
  • As Jabuticabas ler online
  • As Jabuticabas ler grátis



OFERTAS DA SEMANA: